Past

Anúncios
Past

Let

I still just don’t know what to do with myself, but now, I’m more balanced. And then, I listen Beatles singing “don’t let me down, don’t let me down, don’t let me down, don’t let me down”.

***

“De você fiz o desenho mais perfeito que se fez”… Acrilic on Canvas não sai da minha cabeça hoje. Foi a primeira música que ouvi ao acordar, assim que entrei no carro e coloquei na Nova Brasil FM. Me lembrei que não assisti ontem ao especial da MTV com o Wagner Moura cantando Legião. Alguma dúvida de que se eu estivesse lá presente – ou mesmo vendo pela TV – meus olhos se encheriam constantemente de lágrimas? Legião teve um papel fundamental na minha vida. E continua tendo…

Lembra que eu disse que não gostava de Jota Quest? Pois é, mas depois da música da Legião, ouvi uma deles e… porra, outra música linda. “Então seguirei meu coração, até o fim, pra saber se é amor, magoarei mesmo assim, mesmo sem querer, pra saber se é amor, eu estarei mais feliz, mesmo morrendo de dor”. É, Rogério, pois é.

Na sequência, veio Vanessa da Mata, com Amado. “Sinto que você é ligado a mim, sempre que estou indo, volto atrás, estou entregue a ponto de estar sempre só, esperando um sim ou nunca mais”. Cara Nova Brasil FM, assim você me mata. Sério.

***

Após uma hora de atraso, a Woltz chega no shopping Eldorado para comprarmos minhas luvas de boxe, minhas bandagens e meu protetor bucal. Perdoei o atraso porque o trem tava com problema – ok, mesmo se o trem não estivesse com problema eu também teria perdoado. Ela me ajudou mais do que o vendedor da loja. Escolheu a bandagem e o protetor pra mim, além de indicar as luvas. Riu de mim porque eu quis tudo rosa, mas isso foi um mero detalhe.

Depois, passamos na Imaginarium pra ver a nova linha de produtos pro dia dos namorados. Uma belezura mais linda que a outra. Produtos supérfluos sim, mas lindos e estilosos. Dá vontade de levar tudo para casa. Encontramos até uma espécie em miniatura dos nossos gatos – ela tem um gato preto chamado Google, que eu desconfio ser irmão da minha Lady, de tão parecidos que os dois são.

Acabamos sentando pra beber um chopp no estande da Brahma, dentro do shopping mesmo. Gatos, cachorros, inglês, espanhol, francês, Os Vingadores, Brilho Eterno de Uma Mente Sem Lembranças, faculdade, trabalho, relacionamentos, família, festa junina, estrelas, artes marciais… Algumas coisas nunca mudam. O contexto pode até se alterar, mas, definitivamente, repito, ALGUMAS COISAS NUNCA MUDAM. “Nossa, vocês fazem tudo igual” foi o que a garçonete disse após termos abaixado, aberto a mochila, pegado a carteira e entregado o cartão juntas. Sabe-se lá por que, olhamos uma para cara da outra e ficamos vermelhas de vergonha. Coisa que só a gente entende.

Pegamos o mesmo ônibus para voltar pra casa e fomos relembrando sobre como nos conhecemos e sobre os shows em que ela tocava baixo com o Los Madrugas e me dedicava músicas do Cazuza. “Semana que vem tem mais” foi o que ela me disse antes de descer. Faz parte do nosso show.

***

Não se trata de reviver o passado e sim de trazer para o presente tudo o que foi bom.

Let

Kick

Ganhei um pão integral da Cris, dona do Orgânicos com Vida, o meu cantinho preferido para almoçar em Pinheiros. Conversamos sobre Dom Quixote, a noção de tempo e espaço, a questão de 10% do PIB para educação e Star Wars.

***

Comecei de verdade o kick boxing. Eu digo de verdade, porque na primeira aula não fiz praticamente nada. Ainda tenho que me acostumar com as contagens e com os gritos. E comprar uma luva urgentemente. Tô sentindo até agora o cheiro nojentinho que as luvas que ficam lá na academia PRA TODO MUNDO usar têm.

Vamos falar um pouco da história desse esporte então. Kick boxing é uma arte marcial de combate em pé baseada em chutes e socos. A modalidade surgiu no Japão, entre os anos 50 e 60, quando praticantes de karatê e boxe se reuniram para encontros de lutas. Mas não tenho a moral ainda de contar mais. Ainda. Preciso estudar mais para poder escrever sobre. Se estiver com pressa em saber mais, dá uma pesquisada na internet, oras.

Liberei uma puta energia, senti uma puta adrenalina. Delicinha. Que venham as próximas aulas – e as minhas PRÓPRIAS luvas e bandagens!

***

Woltz diz:

“Vai treinando, nosso desafio está próximo”, após eu dizer que na minha segunda aula de kick boxing fui para o confronto corporal já.

“Se você quiser, eu tô livre depois das 18h, a gente podia ir na Centauro. A gente pode jantar depois, o que acha?”, após eu dizer que tenho que comprar luvas de boxe.

“Você praticamente se teletransportou”, após eu dizer que já havia chegado ao trabalho, 15 minutos depois de ter falado com ela ainda na faculdade sobre uma redação que eu precisava entregar.

***

Chegando ao trabalho, ouço o seguinte diálogo entre uma mãe e seu filho pequeno, que acabavam de sair de uma loja de brinquedos:

– Guerra é uma coisa ruim. É quando as pessoas brigam entre si. O Capitão América ajuda os Estados Unidos na Segunda Guerra Mundial, por isso ele se torna herói.

– A guerra não pode ser ruim se surgiu o Capitão América surgiu por causa dela.

– Daqui há alguns anos você vai entender o que eu quero dizer, filho…

Tem como não amar uma criança assim?!  E mais ainda: não achar o máximo como a mãe tenta explicar ao filho conceitos tão complicados? Crianças realmente sabem nos deixar sem palavras.

***

A música “I won’t give up” do Jason Mraz tem uma das letras mais lindas que eu já ouvi ♥ http://www.youtube.com/watch?v=O1-4u9W-bns ♥

Kick

Let me say you something

Minha sis diz:

“Você é uma graça. HAHAHA. Curte qualquer tipo de filhote fofinho e dependente”, depois de eu falar que minha casa estava cheia de crianças e elas estavam interagindo com os meus bichos.

“Olha, se você me aguentar para sempre, vai ser madrinha da minha filha, madrinha tipo mãe, sabe?”, depois de eu confirmar que sou uma graça mesmo.

“Say you’ll be there, I’m giving you everything all that joy, can bring this I swear. And all that I want from you is a promise you will be there, say you will be there  <3”, depois de encontrá-la no bar.

***

Woltz diz:

“Assim que você ficar boa, a gente luta, que tal?”, depois de eu contar que começarei a fazer kick boxing.

***

Gus diz:

“Faça isso por si mesmo, não faz diferença pra mim o que você deixa pra trás, o que você escolhe ser e qualquer coisa que disserem. Sua alma é inquebrável e não há ninguém como você no universo”, depois que volto do almoço.

***

Tiozinho que aparece do nada quando eu desço para fumar diz:

“Ela fazia muitos planos, eu só queria estar ali, sempre ao lado dela, eu não tinha aonde ir, mas, egoísta que eu sou, me esqueci de ajudar, a ela como ela me ajudou e não quis me separar. ela também estava perdida e por isso se agarrava a mim também”.

***

Trânsito astral: o período está associado a um sentimento de amizade que beneficia largamente sua vida amorosa, Graziela. Amigos poderão beneficiar sua vida afetiva, ou te apresentar a alguém especial, ou você poderá também se divertir com os amigos do ser amado. É também um momento ótimo para perceber que o ser amado também é seu amigo, e que deveria ser, antes de tudo, seumelhor amigo. De algum modo meio mágico, você se perceberá mais sensível em relação às necessidades alheias, e se ocupará de tentar preencher tais desejos, pois o trânsito do Sol pela Casa 7 lhe permite uma compreensão maior dos anseios dos outros. A Lua se encontra em harmonia ao Sol, e você estará se comunicando melhor com as pessoas a quem você ama: excelente momento para ter conversas esclarecedoras e chegar a pontos consensuais com pessoas que lhe interessem. A Lua na Casa 11 beneficia largamente planos futuros em comum com o ser amado.

Let me say you something