Ser encantado

No dia 26/06, durante a noite, recebi uma mensagem de um número desconhecido e iniciei esse diálogo. Não sei de quem é esse número que está me mandando essas coisas, e não, não quis ligar. A conversa tá boa… Ainda mais pra mim, que adoro coisas assim… As frases em itálico são desse ser que está me enviando as mensagens no celular, as normais são as minhas respostas. Então, caro ser, se você ler isso aqui, por favor, diga logo quem você é!

26/06/2012

– “Todas as formas de se controlar alguém só trazem um amor vazio. Saber amar é saber deixar alguém te amar”.

– Uau. Mas quem é?

– Um anjo… ou uma fada.

– Hum, e esse ser encantado tem nome?

Não obtive resposta. Aí emendei:

– Sou como a Alice, sabe? CURIOSA!

27/06/2012

Então hoje de manhã, recebo:

– E você já fez seu exercício de acreditar em seis coisas impossíveis antes do café da manhã?*

– Faço isso todos os dias. Às vezes os pensamentos são iguais, às vezes eles mudam.

– Isso é bom. Apesar do possível e do impossível serem a mesma coisa…

– Como uma questão de ponto de vista e opinião…

E o que é “ser real”? Talvez essa seja a questão…

– Algumas coisas são verdadeiras, acredite nelas ou não. Como Dom Quixote que leu livros de cavalaria e saiu pelo mundo buscando aventuras de cavaleiros…

A vida é uma grande ilusão…

(Não lembro ao certo o que eu respondi, mas foi algo no mesmo estilo de realidade e ilusão)

– Será que existe uma diferenciação? Talvez o real seja somente o que a maioria acredita…

– Matrix diz muito sobre isso… a realidade e a ilusão são apenas concepções humanas…

– Então talvez a questão seja: “o que é que te faz bem”?

– Talvez sim, pois esse jogo real x ilusão, nada mais é do que uma maneira de tentar descobrir quem a gente realmente é…

– Acho que o jogo é que é grande ilusão…

– Mas a própria vida não seria um jogo?

Não obtive resposta, uns dois dias depois mandei um I’m still curious.

02/07/2012

Eu não tenho um nome… Então pode me chamar de V.

– Interessante. V é o protagonista de um dos meus quadrinhos e filmes favoritos…

Desde então não tenho notícias desse ser. Cadê tu, tatu?!

Anúncios
Ser encantado

Go ask Alice

Matrix – o  primeiro deles, é claro, os outros dois não são tão bons – é um filme para te fazer pensar. Um dos diálogos entre os personagens Morpheus e Neo está entre os melhores da história do cinema em minha opinião.  

 Morpheus se encontra com o Neo para tentar explicar que o mundo no qual ele vive não é tão real como a maioria pensa. No filme, os humanos são controlados pelo Matrix, uma espécie de sistema de computadores que controla a vida humana, escravizando a população.

 Então Morpheus propõe a Neo que escolha entre duas pílulas: a vermelha ou a azul. Se tomasse a primeira, seria como se nada tivesse acontecido e ele acreditaria no que quisesse acreditar. Já com a vermelha, ele poderia conhecer a complexa verdade do mundo real e do mundo ilusório.

 Acho essa metáfora incrível. Ela traça um paralelo com a nossa vida: podemos escolher entre aceitar passivamente tudo o que existe à nossa volta ou questionar os meios e descobrir a verdade atrás das aparências.

 Morpheus cita Alice no País das Maravilhas, comparando Neo com a garota:

Morpheus : Eu imagino que você esteja se sentindo um pouco como a Alice entrando pela toca do coelho.

Neos : Você tem razão.

Morpheus : Eu vejo nos seus olhos. Você tem o olhar de um homem que aceita o que vê porque está esperando acordar. Ironicamente não deixa de ser verdade. Você acredita em destino, Neo?

Neo : Não.

Morpheus : Por que não?

Neo : Não gosto de pensar que não controlo minha vida.

Morpheus : Sei exatamente o que você quer dizer.Vou te contar porque está aqui. Você sabe de algo. Não sabe explicar o quê. Mas você sente. Você sentiu a vida inteira que há algo errado com o mundo. Você não sabe o que é, mas há. Como um zunido na sua cabeça te enlouquecendo. Foi esse sentimento que te trouxe até mim. Você sabe do que estou falando?

Neo : Da Matrix ?

Morpheus :Você deseja saber o que ela é?

Neo : Sim.

Morpheus : A Matrix está em todo lugar. À nossa volta. Mesmo agora , nesta sala . Você pode vê-la quando olha pela janela ou quando liga sua TV. Você a sente quando vai para o trabalho, quando vai à igreja, quando paga seus impostos… É o mundo que foi colocado diante de seus olhos para que você não vise a verdade.

Neo : Que verdade?

Morpheus : Que você é um escravo. Como todo mundo, você nasceu num cativeiro, nasceu numa prisão que não pode sentir ou tocar. Uma prisão para sua mente. Infelizmente é impossível dizer o que é Matrix. Você tem que ver por si mesmo. Esta é a última chance . Depois não há como voltar. Se tomar a pílula azul a história acaba e você acordará na sua cama acreditando no que quiser acreditar. Se tomar a pílula vermelha ficará no País das Maravilhas e eu te mostrarei até onde vai a toca do coelho. Lembre-se: tudo que ofereço é a verdade. Nada mais.

Neo, claro, escolhe a vermelha. Também podemos fazer associações com o mito da caverna, de Platão, que também é uma metáfora da condição humana perante o mundo no qual os homens podem viver na escuridão achando que representam a realidade das coisas e também do francês Beaudrillard, que inclusive, conheci devido ao filme, após os criadores de Matrix, os irmãos Wachwoski, terem comentado a influência do filósofo, que acredita que vivemos em um mundo de simulacros e simulação.

 Óbvio que eu iria para o País das Maravilhas. Poderia entrar na toca do coelho sem hesitar. E você, qual delas escolheria?

Go ask Alice