fingi na hora rir

wordpress

faz de conta que uma veia não se abrira e faz de conta que dela não estava em silêncio escorrendo sangue escarlate. faz de conta que ela não era lunar, que não estava chorando por dentro – pois agora mansamente, embora de olhos secos, o coração estava molhado; ela saíra agora da voracidade de viver. se fosse uma pessoa inteiramente só, como era antes, saberia como agir. mas após sentir o que sentiu, após estar com elx inteiramente, de corpo e alma, como nunca havia se permitido antes, não sabia mais. sentiu ela, que então se amedrontava de ser uma só. o seu descompasso com o mundo era gritante. ser era uma dor? a noite que não vinha, não vinha, não vinha, que era impossível. e o seu amor que agora era impossível – que era seco como a febre de quem não transpira era amor sem ópio nem morfina. não havia senão faltas e ausências. era raro uma pessoa tocar tão de perto a sua própria perdição. sou um monte intransponível no meu próprio caminho, Lóri.

– fragmentos meus e da clarice, em sintonia.

Anúncios
fingi na hora rir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s